Berço da Pátria

Campanhas Cívicas

Semana da Pátria 2.000 Semana da Pátria 2.000 Semana da Pátria 2.000

Semana da Pátria 2000


Semana da Pátria 2.000

Tendo promovido a Semana da Inconfidência dos anos 1999 e 2000 no perímetro formado pelas Ruas Catete, Contria, Campos Elíseos e Turfa, nos Bairros Gutierrez e Barroca, em Belo Horizonte, resolvi promover a Semana da Pátria no mesmo local.

Nos dois primeiros eventos procurei estimular a participação da comunidade, basicamente realizando no primeiro uma caminhada, e no segundo uma ornamentação maciça, mas exclusivamente com meu trabalho e às minhas expensas, para mostrar que era possível fazê-lo, com a intenção de despertar o sentimento cívico dos moradores, motivando-os a se engajarem naquelas belas e necessárias comemorações do maior movimento libertário de Minas e do Brasil, e em homenagem aos Inconfidentes.

Para a Semana da Pátria procurei encaminhar minhas ações para a comunidade agir por conta própria, realmente participar como autora e não simplesmente com espectadora; que cada um dos seus elementos fizesse a sua parte para a beleza do conjunto, enfeitando sua casa com as cores nacionais. Procurei agir apenas como catalisador, para verificar se os moradores daquele pequeno perímetro haviam absorvido o espírito cívico que eu tentara incutir-lhes e se estavam preparados patrioticamente para, mesmo com alguma timidez, demonstrá-lo. Procurava fazer um teste.

Foram procurados os párocos das igrejas existentes nos bairros solicitando sua palavra aos fiéis.

Foi comunicada a realização da comemoração a vários jornais, rádios e TV’s.

Foram procurados os responsáveis por quatro “escolinhas” do curso pré-primário sediados na região, sendo-lhes pedido a maior ativação possível do espírito cívico dos seus alunos e entregues uma bandeirinha de papel e uma faixa verde-amarela.

Como nas campanhas anteriores vários moradores disseram que não enfeitaram suas casas porque não encontraram material para comprar, eu agora, com a necessária antecedência, mandei confeccionar e colocar à venda, nos estabelecimentos comerciais da região (farmácias, bancas de revista, padarias, etc) bandeirinhas de papel e de tecido e faixas de tecido, a preço de custo, bem barato.

Terminada a Semana da Pátria, e verificada a resposta dos moradores a toda a conclamação feita, a conclusão é que foi um fracasso.

Salvo pouquíssimos moradores que timidamente colocaram algum enfeite, as casas e prédios ficaram sem colorido; a vendagem de bandeirinhas e faixas foi insignificante; os comerciantes nem ornamentaram suas lojas nem ofereceram à venda o material para isso. As escolinhas visitadas fizeram uma programação interna, adequada à faixa etária de seus alunos.

Vamos agora começar a preparar a Semana da Inconfidência de 2001, procurando sanar as falhas observadas e sempre a colaboração da população. Somente teremos alcançado nosso objetivo quando todos nos prepararmos para celebrar nossas maiores datas históricas, como nos prepararmos para o Natal, as festas juninas e o carnaval.