Berço da Pátria

Artigos


OS AUTOS DE DEVASSA


Autos de Devassa é o nome do processo que julgou os inconfidentes, principal fonte para o estudo da Inconfidência.

Até mais ou menos o ano de 1860 pensava-se que eles estavam em Portugal, em local desconhecido, quando então foram encontrados "metidos em um saco verde" na Secretaria do Império, faltando porém a parte, relativa aos eclesiásticos.

O historiador Mello Morais Filho, Diretor do Arquivo Distrital, copiou-o e publicou-o quase todo na Revista do Arquivo a partir de 1861, na ortografia original, e pouca gente dele tomou conhecimento.

Entre 1936 e 1938 a Biblioteca Nacional publicou os Autos em sete volumes, com linguagem atualizada, embora ainda faltando a parte relativa aos religiosos. Entre 1976 e 1983, a Imprensa Oficial do Estado de Minas Gerais publicou, por força de um convênio celebrado entre o Estado e a Câmara de Deputados (federal), os Autos de Devassa completos, em 10 volumes, já contendo a parte relativa aos religiosos, descoberta em Portugal em 1950 e que o Brasil arrematou em leilão realizado na Inglaterra. Em 2001 o MinC – IPHAN – Museu da Inconfidência publicou o 11° volume dos Autos, com documentos complementares.








Reconhecimento da Pátria aos Inconfidentes

Visualizar em PDF