Berço da Pátria

Artigos


RELAÇÃO DOS 24 INCONFIDENTES CONDENADOS E SEUS DESTINOS


MILITARES:

- Alferes Joaquim José da Silva Xavier

- Tenente-Coronel Francisco de Paula Freire de Andrada

Estes dois militares pertenciam à tropa regular, recebiam soldo, eram profissionais.

CIVIS:

- Antônio de Oliveira Lopes (agrimensor)

- Cláudio Manoel da Costa (advogado – fazendeiro – poeta)

- Domingos de Abreu Vieira (comerciante – Ten Cel Aux)

- Domingos Vidal de Barbosa Laje (médico)

- Francisco Antônio de Oliveira Lopes (fazendeiro – Cel Aux)

- Ignácio José de Alvarenga Peixoto (faz. – Cel Aux – magistrado – poeta)

- João da Costa Rodrigues (estalajadeiro)

- João Dias da Mota (fazendeiro - Cap. Aux)

- José Aires Gomes (fazendeiro)

- José Álvares Maciel (engenheiro químico)

- José de Rezende Costa (fazendeiro)

- José de Rezende Costa Filho (estudante)

- Luiz Vaz de Toledo Piza (fazendeiro)

- Salvador Carvalho do Amaral Gurgel (médico)

- Tomás Antônio Gonzaga (magistrado – poeta)

- Vicente Vieira da Mota (contador - Cap. Ordenanças)

- Vitoriano Gonçalves Veloso (alfaiate)

Embora alguns dos inconfidentes apareçam como militares, eram realmente civis. Seus postos militares eram dos então Regimentos de Ordenanças ou Auxiliares, que só se reuniam esporadicamente para inspeções ou então em perturbações graves ou invasões de estrangeiros. Nada recebiam, e ainda eram responsáveis pelo fardamento e armamento dos subordinados.

Quase todos os civis eram também mineradores.

CLÉRIGOS:

- Cônego Luis Vieira da Silva

- Padre Carlos Correia de Toledo e Melo

- Padre José da Silva e Oliveira Rolim

- Padre José Lopes de Oliveira

- Padre Manoel Rodrigues da Costa

A maioria dos padres tinha também fazendas e mineração.

INCONFIDENTES CONDENADOS QUE VOLTARAM AO BRASIL:

- Cônego Luis Vieira da Silva

- José de Rezende Costa Filho

- Padre José da Silva e Oliveira Rolim

- Padre Manoel Rodrigues da Costa

INCONFIDENTES QUE TÊM SUAS CINZAS DEPOSITADAS NO PANTEÃO DOS HERÓIS, DO MUSEU DA INCONFIDÊNCIA, EM OURO PRETO - IDENTIFICADOS E TRAZIDOS PARA O BRASIL NA DÉCADA DE 1930:

- Antônio de Oliveira Lopes

- Domingos de Abreu Vieira

- Francisco Antônio de Oliveira Lopes

- Francisco de Paula Freire de Andrada

- Ignácio José de Alvarenga Peixoto

- João da Costa Rodrigues

- José Aires Gomes

- José Álvares Maciel

- Luiz Vaz de Toledo Piza

- Salvador Carvalho do Amaral Gurgel

- Tomás Antônio Gonzaga

- Vicente Vieira da Mota

- Vitoriano Gonçalves Veloso

IDENTIFICADOS E DEPOSITADOS NO MUSEU DA INCONFIDÊNCIA EM 30 DE ABRIL DE 2011:

- Domingos Vidal Barbosa

- João Dias da Mota

- José de Resende Costa, pai

Nenhum dos clérigos tem seus restos mortais no Museu da Inconfidência porque a exumação se deu em 1936, e a parte dos Autos de Devassa relativa a eles só foi encontrada em 1950, de modo que até aquela data não se sabia se suas sentenças tinham sido confirmadas pelo governo português. Posteriormente procurou-se, mas não foram encontrados os restos mortais nem do Padre Toledo, que morreu em Portugal, nem dos demais, que voltaram para o Brasil. Três dos inconfidentes que morreram no degredo não tiveram seus restos localizados, bem como os de Cláudio Manoel da Costa.

TÊM TAMBÉM SUAS CINZAS DEPOSITADAS NO MUSEU DA INCONFIDÊNCIA:

- Maria Dorotéia Joaquina de Seixas, a famosa Marília dos apaixonados poemas de Tomás Antônio Gonzaga.

Bárbara Heliodora Guilhermina da Silveira, esposa, musa e sustentáculo do poeta Ignácio José de Alvarenga Peixoto.

Era a sua Bárbara Bela.








Reconhecimento da Pátria aos Inconfidentes

Visualizar em PDF