Berço da Pátria

Artigos


RESGATE DE TIRADENTES


Constando ser eu descendente do Protomártir e ocupando a cadeira da qual é ele o Patrono sugerimos, em reunião do Instituto Histórico e Geográfico de Minas Gerais, iniciar-se um movimento cívico destinado a perpetuar o idealismo e o sacrifício dos Inconfidentes. Lembramos que todas as civilizações, mesmo as mais primitivas, procuram imortalizar o que julgaram transcendente, como seus deuses, heróis e acontecimentos marcantes de sua identidade coletiva, e que mesmo hoje, em países de avançada tecnologia e manifesto materialismo, é intensamente estimulado o culto aos heróis e símbolos nacionais, com a finalidade de manter vivas as glórias do passado, pois estas alimentam o orgulho pátrio e são o paradigma da conduta cívica; e que na história do Brasil não há acontecimento maior que a Inconfidência Mineira, cuja finalidade precípua foi a criação de uma Pátria.

Há 250 anos nasceu Tiradentes. Até os quase 50 anos palmilhou nossas estradas, plantando a semente da liberdade nas fazendas, povoados e cidades, e apesar do seu holocausto por mais de 100 anos permaneceu ignorado.

Vamos agora, nestas Minas Gerais que ainda não têm um hino para cantá-las, começar a planejar e executar a grande jornada para perpetuar em um grande parque ou memorial na pedra e no aço, de modo grandioso e eloqüente, o ambiente, o clima e os atores da Inconfidência, personalizada no alferes Joaquim José da Silva Xavier, a fim de que todos os brasileiros sintam na mente e no coração, a pureza e a profundidade do sentimento de brasilidade que o animou. Sem esquecer os demais Inconfidentes, mostremos o Alferes jovem, idealista, intrépido, altivo, forte e confiante, incansável na sua pregação e convicto de suas idéias libertárias, que não se escondia nem se negou até o último alento de vida.

Aquele parque ou memorial poderia ser um autêntico Berço da Pátria a ser erigido na região que guarda os passos do Pai da Liberdade, em ampla área circundada pelas cidades históricas de Minas, devendo ser dotada de toda infra-estrutura necessária para fazê-la capaz de receber peregrinações cívicas e culturais, e ainda constituir-se em atração turística.

Assim como Tiradentes, não hesitemos nem pensemos nas dificuldades que surgirão ou na possibilidade de fracasso: as primeiras serão superadas e o segundo não existe. Vamos demorar um ano? Dez anos? Cem anos? Não importa, o tempo não conta. Então, vamos dar o primeiro passo que a seguir toda a sociedade brasileira caminhará conosco.


Publicado no Estado de Minas de 03-09-1996








Reconhecimento da Pátria aos Inconfidentes

Visualizar em PDF